Como maneira de mostrar o verdadeiro espírito do homem moderno e a modernidade representada pelo poeta, Marshall Berman (1986) dedica um capítulo do seu livro à Baudelaire intitulado: “Baudelaire: o moderno nas ruas”. Seu intento é demonstrar, através desse poeta, as duas facetas que ofuscam o sujeito e sua relação de interdependência com o ambiente moderno. Ou seja, esses dois lados os quais Berman (1986, p. 129) afirma é o ‘modernismo`, “ espécie de puro espírito, que se desenvolve em função de imperativos, o artístico e intelectuais autônomo” e a ´modernização`: “Complexo de estrutura política, econômico e social que emanam nas ruas da cidade, em especial, as de Paris”.

Gleid Ângela dos Anjos Costa e Dayse Rodrigues Santos

Faça o download do texto completo aqui.