Este trabalho apresenta uma análise diacrônica da língua Zo’é, falada aproximadamente 270 pessoas habitantes do Estado do Pará e contatadas em 1987. Demonstra as semelhanças e as transformações fonológicas e morfofonêmicas ocorridas em relação à protolíngua Tupi-Guarani e às outras línguas da mesma família linguística.  As mudanças ocorridas e os dados conservados confirmam sua inclusão na família Tupi-Guarani, subgrupo VIII, proposto por Rodrigues (1984/1985). Embora algumas mudanças e semelhanças coincidam também com as das línguas de outros subgrupos, sua inclusão no subgrupo VIII, proposto por Cabral (1996) e referendado por Souza (2013), parece coerente, pois é maior o índice de ocorrência em comum com as línguas deste subgrupo. 

Onésimo Martins de Castro

Acesse o artigo na íntegra aqui.