O escopo deste artigo é investigar a pronúncia do S pós-vocálico na fala do manauara com o objetivo de verificar a ocorrência das variantes [s] /[z], palatais [ʃ]  /[ʒ], a aspiração (glotal) [h] e o zero fonético (Ø), em posição medial e final. A pesquisa tem como base os pressupostos teóricos da sociolinguística variacionista, cujas “noções centrais são do tipo de ‘comunidade linguística’, ‘língua’ ou ‘variedade’” (MONTEAGUDO, 2011). O estudo é classificado como descritivo em razão de estabelecer relações entre fatores relacionados às variações de natureza interna (estrutura relevante do fenômeno) e social (gênero, faixa etária, naturalidade e grau de escolaridade). Para formar o corpus do estudo, foi realizada entrevista estruturada com oito estudantes, todos manauaras, em uma universidade da cidade de Manaus. A análise dos dados apontou uma grande ocorrência da palatização do S pós-vocálico em posição medial e final na fala manauara.

Maria da Conceição Queiroz Vale  E Mirley Tereza Correia da Costa